Ei como está o seu dia HOJE?

Shalom pra você... Emunah!

Venho lhe falar de algo que em geral se diz, se fala, se vive, mais não se percebe e se valoriza... Falar do dia em que se está, no dia corrente. Na atualidade, Atualmente, no presente. Do Hoje em dia, nos dias de hoje... Olha,! Venho lhe falar de Hoje!

E de acordo com todos estes sinônimos que citei, quero conversar com você sobre estas últimas 24 horas.

Ei, quero lhe falar DO presente dia, e por fim do Dia MAIS IMPORTANTE DE SUA VIDA,

DE MINHA VIDA, DA VIDA DE CADA um que Deus permitiu amanhecer hoje...


Declaro pra Você que HOJE é o dia mais importante da SUA VIDA, DA MINHA VIDA...

Então, por mais que possa estar difícil o que você vive neste momento, NÃO desanime, mas agradeça, Louve, Ore, Adore...


Deus não te fez para perecer!

Então VIVA no dia de Hoje o dia Mais Importante de Sua Vida.

Sabe porque? Porque Você acordou...

Deus te deu fôlego e disse do Céu pra você HAJA...

Olha, e não impontam as adversidades, porque mesmo elas existindo, Deus tem lhe dado Vida, folego, Luz, e quanto mais você se voltar para Ele agora, mais Ele lhe honrará, livrará de todo o mal, e lhe fará vencedor e testemunho de Sua Promessa terrena e celestial...

Jesus Te Ama.


O Deus do HAJA, VIVE e lhe tem dado Vida!

Aquele que Criou todas as coisas, conforme escrito em Gênesis 1:1-4 que diz:

No princípio criou Deus o céu e a terra. E a terra era sem forma e vazia; e havia trevas sobre a face do abismo; e o Espírito de Deus se movia sobre a face das águas. E disse Deus: Haja luz; e houve luz. E viu Deus que era boa a luz; e fez Deus separação entre a luz e as trevas.

O que quero lhe declarar com estas palavras de ânimo e esses versículos de vitória, é que DEUS Está no Controle de sua vida, do planeta, das adversidades, estações, de todo o universo, das Galáxias mais longínquas, da lua das estrelas, do inferno e do Céu.

Portanto é momento de Você Alegrar a a sua alma, pois o Criador de Todas as coisas, apenas precisa que você diga com suas próprias palavras o seguinte:

"Senhor Jesus, obrigado por que estou vivo;

Obrigado por ter misericórdia de mim;

Obrigado Senhor, por me dar mais uma oportunidade de me redimir, e buscar a Sua Face e de procurar ser uma pessoa melhor, refletindo verdadeiramente a Sua Imagem e Semelhança aqui na Terra, para a ascênção da Minha alma, quando o Senhor me Chamar para o Reino dos Céus. Por fim, diga a Ele, Senhor Obrigado por tudo".


E com essa forma de oração e fé, você paralisa as trevas, arranca de si mesmo, a murmuração, ao espírito de derrota, da depressão, da opressão, e todo o mal que vem lhe afligindo, trazendo pra dentro de você o Espírito Santo, a Luz do Deus do HAJA que te criou pra ser feliz.


Jesus disse:

Não se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em mim. Na casa de meu Pai há muitas moradas; se não fosse assim, eu vo-lo teria dito. Vou preparar-vos lugar. E quando eu for, e vos preparar lugar, virei outra vez, e vos levarei para mim mesmo, para que onde eu estiver estejais vós também.

João 14:1-3

Essa é uma Promessa pra você e pra mim, pra todo o Ser Humano que Crer, e que Creu e tem Crido na Ressurreição do Senhor Jesus.

E se Ele veio pra nós Salvar a Alma, tem feito com que Você viva, AMEM!

Ele fez aqui uma Promessa que Irá Voltar para nos Levar para Ele mesmo, promessa de Salvação da Alma. Você crê nisto? Então tome pesse agora, e declare dentro de você que Hoje é o Dia Mais Importante de sua vida! Aleluia.

Viva o Hoje como o dia mais importante de Sua Vida na presença de Deus o reconhecendo em todos os seus caminhos, sejam nos dias bons e nos dias maus.

Viva este dia como se fosse o último dia de sua vida, e por tanto, viva o Melhor dia que você puder, porque Deus esta fazendo descer agora sobre você as Respostas sobre o problema que você possa estar vivendo na área da "Saúde, Financeira, Conjugal, Familiar", não importa qual seja o mal que entrou em sua vida. Deus é Luz e fará as trevas sucumbirem.


Lembre-se que o dia de amanhã ainda não foi declarado no Céu, ainda não nasceu, não depende de você, MAIS do Deus do HAJA, mesmo traze-lo a existência no Universo inteiro e dentro de você, coração e mente, matéria, espirito e Alma...

Por fim, Não permita MAIS que os problemas e que seus pecados, lhe destruam a Salvação e a Paz, é hora de dizer BASTA para o mal que fazemos pra nós mesmos...

Abra o teu coração, mente, seja perdoado e acima de tua perdoe, conviva e viva.

Receba o "Novo Nascimento com Cristo" agora e a Vitória que Deus Trouxe do Céu para você através do Senhor Jesus que Ressuscitou para lhe trazer vida com abundância.

Deus lhe abençoe!

Emuna, shalom, adonay Yeshua.

Bp. Paulo R. Maia Clavery

73 visualizaçõesEscreva um comentário

Amigo e amiga, inicio esta mensagem com alegria da Vida Eterna, pois a Páscoa representa literalmente, a Salvação da Alma. Ao final da mensagem lhes falo sobre os 18 atos de todo o sofrimento e morte de Cruz do Senhor Jesus, e antes de continuar as felicitações, lhes deixo uma pergunta para meditação: O que a humanidade tem comemorado verdadeiramente na Páscoa? Deixo também como introdução desta fala, a Profecia revelado por Deus Pai ao Profeta Isaías no livro de Isaías 53:4-5 "Verdadeiramente ele tomou sobre si as nossas enfermidades, e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus, e oprimido. Mas ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e moído por causa das nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados. Essa Profecia se cumpriu, e foi escrita a cerca de 700 anos antes de Cristo vir ao mundo, por tanto amigo e amiga as promessas de Deus se cumprem e hoje comemoramos a Páscoa, que verdadeiramente e exclusivamente, representa o Novo Nascimento em Cristo, conforme escrito em João 11:25-26 "Disse o Senhor Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em mim, ainda que esteja morto viverá; e todo aquele que vive e crê em mim nunca morrerá." Portanto a Morte e Ressurreição do Senhor Jesus, cumpre a profecia de Isaías, pois o Deus Filho, enviado por Deus Pai, se fez homem, despindo-se de sua Glória e Majestade, esvaziando-se do seu poder e domínio, submetendo-se a nossa insignificância e pecados, por Amor incondicional, para pagar Ele mesmo, como cordeiro de Deus imaculado os nossos pecados com morte de Cruz, na pessoa do Nosso Senhor Jesus de Nazaré, que do Hebraico significa 'Deus é a Salvação", Yeshua Hamashiach.

A Páscoa representa na Ressurreição do Senhor Jesus, restauração, cura, libertação, remissão de pecados, perdão de Deus sobre cada um de nós, e o arrependimento de cada ser humano, pelos pecados praticados se crer, representa também, liberação de perdão da parte de cada um de nós, ao semelhante, assim como disse o Senhor Jesus em Mateus 22:37;39 "37 E Jesus disse-lhe: Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento. 39 E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo."


O Ápice da Crucificação, Morte e Ressurreição do Senhor Jesus Cristo, é a Salvação da Alma, representação literal da comemoração da Páscoa, Portanto amigo e amiga, o Senhor Jesus trouxe a existência algo que nós humanos havíamos perdido ainda no Jardim do Éden conforme escrito em Gênesis Capitulo 3, quando Adão e Eva caíram em tentação ao aceitar a oferta de satanás, sendo o pecado adâmico, hereditária a toda a criatura humana, e portanto, quando o Senhor Jesus veio ao mundo, foi crucificado, desceu ao ades, conforme 1 Pedro 3: 18-21 " Porque também Cristo padeceu uma vez pelos pecados, o justo pelos injustos, para levar-nos a Deus; mortificado, na verdade, na carne, mas vivificado pelo Espírito; No qual também foi, e pregou aos espíritos em prisão; Os quais noutro tempo foram rebeldes, quando a longanimidade de Deus esperava nos dias de Noé, enquanto se preparava a arca; na qual poucas (isto é, oito) almas se salvaram pela água; Que também, como uma verdadeira figura, agora vos salva, o batismo, não do despojamento da imundícia da carne, mas da indagação de uma boa consciência para com Deus, pela ressurreição de Jesus Cristo;

No terceiro dia Ele Ressuscitou, comprou das mãos de satanás a Salvação da Alma de cada Ser Humano que havia sido condenada ao sofrimento eterno.

A Páscoa representa isso, representa a declaração de Amor de Deus Pai, Deus Filho e Deus Espírito Santo, em Sua Santíssima Trindade, sendo o Senhor Jesus o nosso intercessor ante ao Trono de Deus Pai todo Poderoso, como Ele mesmo disse quando esteve aqui na terra a certa de 2020 anos atrás. João 14:6 "Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim". Por tanto amigo e amiga, Jesus está de braços abertos aguardando a sua celebração de Páscoa, levando a verdade da Crucificação, Morte e Ressurreição que culmina com a Vitória da Salvação da Alma de cada ser humano "que verdadeiramente vier a Crer que Jesus Cristo é o Único e Suficiente, Salvador, Santo e Senhor de suas vidas"...


Essa é a condição da Salvação disponível a cada ser humano em o Nome do Senhor Jesus. Lhe desejo desta forma, uma Feliz Páscoa, e que o Senhor Jesus seja a partir desta páscoa o primeiro em sua vida, e que n´Ele você eleve suas orações, prostre-se de joelhos, faça as suas petições, louvores, suplicas e testemunhe a Ele e somente a Ele, Todos os Milagres alcançados, pois somente Ele é Santo e pode fazer milagres como Ele mesmo disse, e como a bíblia sagrada nos revela desde a fundação do mundo por Deus Pai todo Poderoso.


Para encerrar, lhes deixo abaixo uma explicação em Oito atos, de tudo o que o Senhor Jesus sofreu desde que foi entregue ao Romanas para ser Crucificado por nossos pecados e Salvação de Nossas Almas.


Os Dezoito Atos Até a Crucificação


1º - O Julgamento

Pilatos solta Barrabás a pedido da multidão (Mateus 27.26).

Um criminoso qualificado, assassino, ladrão.

Barrabás representou neste ato a perversidade de toda a humanidade.

A intenção de Pilatos ao apresentar a escolha entre um dos dois presos era para isentar-se de quaisquer responsabilidade e por isso lavou as suas mãos em seguida, achando que a multidão jamais iria preferir Barrabás à Jesus.

Mas não foi o que aconteceu. Barrabás foi solto e o Senhor Jesus, assumiu seu lugar. 

Barrabás representa cada um de nosso pecados, arrogância, avareza, lasciva, luxuria, soberba, dureza de coração, e todo o mal existente na face da terra.


2º - Crucificação Parte 1: Os Açoites Era realizado no pretório. O chicote era feito de tiras de couro. Traziam na ponta pedaços de ferro, chumbo ou osso. A intenção era dilacerar o corpo do condenado. Fazê-lo agonizar de dor.

Não raramente esse espancamento causava a morte, dada a brutalidade do massacre ao qual o condenado era submetido. Jesus foi levado à casa do governador (Pretório). Era ali que residia quando não estava em Cesaréia, sua fortaleza em Israel.

Os soldados que o conduziram chamaram toda a tropa que estava ali, cerca de 500 ou 600 homens (Mateus 27.27). A intenção dos soldados era: torturar e humilhar Jesus (Mateus 27.28).

Este manto vermelho era a tradicional capa curta utilizada por soldados, oficiais, magistrados, reis e imperadores. Dessa forma eles continuaram a ferir o Senhor física e emocionalmente.

Humilhando-o com seus adereços debochados. Caracterizando ainda mais o seu desprezo pelo Filho de Deus. 


3º - A Coroa de Espinhos

A coroa de espinhos representa o diadema real (Mateus 27.29). A vara, o cetro. Ambos usados por magistrados romanos. A intenção dos soldados era fazer de Jesus uma caricatura real.

A matéria prima da coroa eram ramos de espinheiros ou acácia da Síria, comuns na região e com espinhos tão longos quanto um dedo.

A tropa (500 ou 600 soldados) formou uma espécie de fila, enquanto ajoelhavam-se diante de Jesus desejando-lhe vida longa e prosperidade.

Sorrisos debochados. Gargalhadas. Gritos. O barulho do escárnio misturado aos açoites, preenchia o ambiente. Diziam: “Salve, rei dos judeus!”, e gargalhavam.

Essa era a saudação que imperador ouvia ao voltar vitorioso da batalha. Para os soldados, Jesus não passava de um idiota fracassado. Um louco.

Diante do Rei do Céu e da Terra, os soldados romanos deram seu melhor no quesito desmoralizar.


4º - O Cuspe Autoridades romanas tinham o costume de se cumprimentarem beijando os lados da face, um do outro. Especialmente no retorno de batalhas. 

Em lugar do beijo de cumprimento, Jesus de Nazaré recebeu cuspe (Mateus 27.30). Aprofundando ainda mais a sensação de humilhação e desprezo.

Ao mesmo tempo outro soldado, toma a vara de sua mão e sem nenhuma misericórdia, bate em sua cabeça. Os cravos ficam cada vem mais fincados no crânio. O sangue escorre por sua face e o Filho de Deus, mal consegue ficar acordado.

As pancadas e a perda de sangue o deixam tonto. Confuso. Os gritos e as gargalhadas, o barulho, só pioram.


5º - A Zombaria

Provavelmente isso aconteceu após a tentativa de Pilatos para soltar Jesus. Pilatos saiu outra vez e disse aos judeus:“Agora eu vou trazer Jesus aqui fora para vocês, mas entendam que eu não acho nele motivo algum de acusação”. Então Jesus saiu com a coroa de espinhos e o manto de púrpura (Mateus 27.31).

Pilatos disse: “Aqui está o homem!” Ao ver Jesus, os sacerdotes principais e os guardas do templo começaram a gritar: “Crucifique! Crucifique!” (João 19.4-6).

A multidão estava cega. Queria matar a Jesus. Grita loucamente. 

Visto que a decisão final era a crucificação, os soldados tiram de Jesus a capa e devolvem suas roupas. Isto provavelmente aconteceu porque os romanos não queriam que todos os judeus vissem outro judeu ser humilhado daquela forma. Podia inflamar ainda mais o sentimento político de revolta.

A essa altura Jesus estava moído. Ferido. Fisicamente esgotado. Estava se cumprindo a profecia do profeta Isaías 53.5,7,8.

Jesus é vestido e conduzido para fora da cidade.

Começa a segunda parte da crucificação.


6º - Crucificação Parte 2: A caminho do Gólgota

O caminho até a cruz é comumente chamado de Via Dolorosa. Aprendemos com a História, que a crucificação teve início no período das guerras entre Roma e Cartago (Guerras Púnicas), cerca de 200 a.C.

Os romanos passaram a empregá-la como condenação aos prisioneiros da época. Lembrando que a violência extrema era marca do império romano. A crucificação era morte por tortura. A intenção não era apenas aniquilar, mas fazer sofrer.

Por isso o condenado era açoitado antes, para que sofresse ainda mais no momento de carregar o pathibulum, o poste vertical da cruz.

Contudo, Jesus já estava muito desgastado e não suporta carregar a cruz.

Os soldados romanos jamais se rebaixariam a carregá-la, então chamaram Simão, o cireneu para ajudá-lo (Mateus 27.32). Enquanto Simão Pedro abandou o Mestre, seu Pai providenciou outro para ajudá-lo.

Provavelmente este Simão, veio a tornar-se cristão. E seus filhos são citados: Alexandre e Rufo.

A ajuda de Simão deixa clara a humanidade de Cristo. Mostra que Ele não se utilizou de nenhum artificio sobrenatural para suportar mais dor.

A impossibilidade de carregar a cruz devido à debilidade do seu corpo mostra isso, assim como sua agonia no Getsêmani.


7º - O Gólgota

A palavra Gólgota é originária do latim, para traduzir o aramaico Gulgatha, no hebraico Gulgoleth, que significa crânio. Alguns acreditam que recebeu esse nome pelo fato de ali ser um lugar de execuções, onde ossos dos cadáveres jaziam (Mateus 27.33). 

A crença mais difundida, no entanto, é a de que o nome é uma referência a formação rochosa do monte, que parece sim, uma caveira.

A segunda tese ganha ainda maior força quando pensamos que José de Arimateia e Nicodemos, dois judeus ricos, não comprariam seus sepulcros em um lugar onde os ossos ficavam espalhados ao chão, já que era algo contrário as leis judaicas.


8º - Para Aliviar a Dor

Durante a crucificação, vendo a agonia de Jesus, os soldados lhe ofereceram vinho (Mateus 27.34). Essa era a bebida normalmente usada pelos romanos para amenizar a dor causada pelos ferimentos de batalha. Soldados mais piedosos ofereciam ao réu, na cruz, a fim de aliviar um pouco o sofrimento.

Jesus não! Ele recusou completamente. Não aceitou qualquer tipo de entorpecimento. Estava pronto a beber o cálice que o Pai havia lhe dado.


9º - Crucificação Parte 3: Jesus na Cruz

Havia três tipos de cruz:

1. X – A cruz de Santo André, com formato de X.

2. T – A cruz de Sato Antônio, com formato de T.

3. † – A cruz latina, com formato mais popular no mundo.

No Gólgota a crucificação se dava da seguinte forma:

  • As roupas do prisioneiro eram tiradas;

  • Mãos: pulso ou metacarpo eram cravados, primeiro a direita, em seguida a esquerda com o corpo do condenado no chão;

  • O corpo: apoiado ou amarrado ao pathibulum;

  • Pés fixados no poste, juntos ou separados, um palmo acima do chão de forma que os joelhos permanecessem inclinados.


10º - O Sofrimento do Senhor Jesus na Cruz

  • Sede;

  • Exposição aos elementos do tempo como: sol e calor causticante;

  • Paralisação da circulação sanguínea;

  • Dores intensas;

  • Artérias da cabeça e estômago cheias de sangue;

  • Febre traumática;

  • Tétano;

  • Perda contínua de sangue;

  • Morte lenta e dolorosa com duração de 36 horas a 9 dias.

Para apressar a morte dos prisioneiros os soldados romanos despedaçavam suas pernas com um porrete pesado ou martelo. A cruz era um símbolo de maldição. Vergonha.

Não é a toa que o apóstolo Paulo diz que Cristo se fez maldito, por nós (Gálatas 3:13). Era o tipo de morte reservado para os piores infratores da época. E só foi abolida por Constatino, em 300 d.C.


11º - A Inscrição

O texto da acusação varia nos evangelhos:

  • Mateus – “Este é Jesus, o Rei dos Judeus” (Mateus 27.38)

  • Marcos – O Rei dos Judeus (Marcos 15.26)

  • Lucas – Este é o Rei dos Judeus (Lucas 23.38)

  • João – Jesus Nazareno, o Rei dos Judeus (João 19.19)

Devemos lembrar que a acusação foi escrita em três idiomas: hebraico, latim e grego conforme diz João 19.19,20. É possível que essa seja a causa da variação, já que os idiomas têm sintaxes diferentes.

Oficialmente Jesus foi crucificado por traição a Roma. Os romanos jamais o teriam crucificado por motivo de blasfêmia religiosa. A acusação contra Jesus foi alta traição.

O objetivo era dar as autoridades judaicas uma advertência: “Isto é o que os romanos farão a qualquer que se levante como rei dos judeus”.

Sabemos, porém, que Jesus era inocente em relação à acusação. Em nenhum momento Ele se levantou contra o governo de Roma, algo que muitos imaginavam que Ele fizesse. Jesus Cristo deixa isso muito claro no episódio da moeda com a inscrição de César em Lucas 20.25, onde ele mostra que o pertence ao Império, deve ser dado e o que pertence a Deus, também.

Noutra parte Ele diz, que o Seu Reino não é deste mundo, ou seja, não era seu objetivo guerrear com os homens por território e poder (João 18:36).


12º - Crucificação: Parte 4: Jesus na Cruz Entre Ladrões Os dois criminosos que estavam ao lado de Jesus, mereciam estar ali (Mateus 27.38), ele não. Cometeram crimes reais. Sua condenação era legítima de acordo com as leis da época. Um deles reconhece isso (Lucas 23.39-41).

Provavelmente eram terroristas, insurgentes. Alguns acreditam até que foram presos com Barrabás. Esse fato – Jesus crucificado entre dois criminosos – cumpriu a profecia de Isaías 53.12, onde o profeta diz que o Messias seria visto entre os transgressores. 


13º - O Pior dos Três

O fato de ter ficado no meio dos três caracterizava Jesus como o pior dos três criminosos. Não em vão, o povo lhe dirigia ofensas e zombava dele (Mateus 27.39).

O sumo sacerdote zombou de Jesus antes de ser condenado. Os soldados zombaram de Jesus após a condenação. Agora a multidão zomba do Senhor, enquanto Ele agoniza na cruz.

A cruz ficava próxima a uma estrada. As pessoas que iam e vinham olhavam com desprezo para os condenados, balançavam a cabeça em sinal de desaprovação ao que fizeram e dirigiam insultos, xingamentos aos presos.

A palavra grega usada para blasfêmia, indica difamação ou insultos abusivos. É a mesma palavra usada em Apocalipse 2.9; Judas 9; Mateus 26.65,66.

O fato de Jesus ter suportado toda essa zombaria em silêncio prova que nele não havia treva alguma 1 João 1.5

Umas das principais acusações feitas a Jesus na cruz, é a de que ele era um traidor. É o fato de ter dito que destruiria o templo e o reedificaria em três dias. Isso parecia provar que Ele desejava promover uma revolução.

Essa declaração se espalhou de forma viral. Alguns a consideravam ridícula, outros esperavam ansiosamente, para ver como faria isso. A verdade é que as pessoas não entenderam que ele falava sobre o seu próprio corpo. De que Ele edificaria um Templo muito superior aquele (João 2.19-22).

De qualquer forma os acusadores estavam de “alma lavada”, e lançaram isso em rosto (Mateus 27.41- 44). Eles achavam que Jesus era um fracassado.

Nesse ponto a zombaria era generalizada. Todos escarneciam.

Reconhecem que Jesus salvou os outros. As curas, libertações, ressurreições, enfim, tinham em mente os milagres que Jesus operou. Com isso, eles o desafiam a descer da cruz. Se o fizesse creriam nele, diziam.

É algo parecido com a insinuação do Diabo na tentação, desafiando-o a fazer coisas que não agradavam a Deus.

Mas Jesus não cedeu. Ele não podia descer. Havia conversado com o Pai sobre isso no Getsêmani. Poder não lhe faltava.

Jesus na cruz, sabia que em pouco tempo ressuscitaria. Descer da cruz a essa altura seria um desperdício, já que havia suportado coisas horríveis.


14 º - Crucificação Parte 5: O Pôr do Sol

A natureza manifesta sua tristeza. O mundo escureceu. A luz do mundo estava prestes a ser apagada e seu servo, o sol, recolhe também a sua luz. Não podia brilhar enquanto seu mestre padecia (Mateus 27.45,46). Jesus é o Príncipe da Criação, (Colossenses 1.16,17) e quando Ele expirou, ela sentiu.

E assim como quando Jesus nasceu uma grande luz brilhou (Lucas 2.9), agora quando Ele está desfalecendo a natureza desfalece, em reverência a seu maestro.

Ao final das três horas de trevas, Jesus clama em aramaico: “Meu Deus, meu Deus, por que o Senhor me abandonou?”

Essa declaração é o resumo do sofrimento de Jesus.

Aquele que era um com o Pai. O Unigênito. Procura e não encontra. Jesus estava separado de Deus por causa do pecado da humanidade que agora estava sobre Ele. Estar longe de seu Pai foi sua maior dor.


15º - Delírio?

Ao ouvir as palavras do Messias clamando por Seu Pai, não o compreendem. Acham que Ele estava delirando (Mateus 27.47-49). Algo não incomum devido a sede, a perda de sangue, a dor, a febre, era normal que o réu começasse a dizer coisas sem sentido.

Por achar que era esse o caso, alguém ensopou uma esponja com vinho azedo e mais uma vez tentou dar a Jesus,  o condenado.

16º - Crucificação Parte 6: A Morte do Senhor Jesus na Cruz

É espantoso o fato de Jesus ter morrido tão rápido (Mateus 27.50). Ele permaneceu apenas seis horas na cruz. Das nove da manhã, até as três da tarde. Isso nos leva a pensar que a causa foi a terrível tortura aplicada pelos soldados.

A morte de Jesus na cruz foi real. Sua morte comprova sua humanidade. Ele se identificou perfeitamente conosco. É provável que causa da morte tenha sido ruptura do coração, o que explicaria seu grito agonizante de dor. 

A descrição de João, dizendo que o soldado romano perfurou seu lado com a lança, de onde saiu água, nos leva a pensar assim (João 19.32-34).

A lança chegou até perto de seu coração. Quando o coração se rompe, o sangue fica concentrado no pericárdio, o ligamento em torno da parede do coração, dividindo-se numa espécie de coágulo de sangue e soro aquoso.

Essa evidência é contundente na afirmação de que Jesus realmente morreu na cruz, não foi tirado vivo para depois ser reanimado e forjar a ressurreição.

Ou seja, o registro de João se reveste de maravilhoso valor, embora ele não tivesse conhecimento científico do caso.


17º - As Sete Palavra de Jesus na Cruz

A sequência listada abaixo não representa necessariamente a ordem original das sete palavras de Jesus na cruz, pelo fato de ser extraída de todos os evangelhos, que não apresentam sequência específica para tal.

1. A oração de Jesus pedindo perdão para seus inimigos. Proferida provavelmente quando a crucificação estava no começo. (Lucas 23.34);

2.A promessa ao assaltante arrependido (Lucas 23.42);

3.Confia sua mãe aos cuidados de João (João 19.26,27);

As declarações iniciais foram feitas antes que as trevas cobrissem o local. Outro ponto a ser destacado é que nessas sete palavras de Jesus na Cruz, percebe-se a preocupação dele por outros, algo que demonstra a grandeza do seu Amor.

4.Pouco antes de sua morte, ouve-se o clamor à procura do Pai (Marcos 15.34; Mateus 27.46);

5.O grito de angústia física (João 19.28);

6.O grito de vitória (João 19.30);

7.O grito de resignação (Lucas 23.46);

As quatro últimas declarações dizem respeito a Ele mesmo. A sua separação de Deus, sua dor, seu triunfo. Sua entrega.

18º - O Véu do Templo

O véu do Templo era extremamente resistente. Tinha a largura de uma mão de espessura. Era tecido com setenta e duas dobras torcidas, cada dobra feita com vinte e dois fios. Sua altura era de dezoito metros com nove de largura.

Somente uma força extraordinária para rasgá-lo de alto a baixo, e isso aconteceu de forma sobrenatural após a morte de Jesus (Mateus 27.51).

O véu dividia o Lugar Santo do Santo dos Santos, onde o sumo sacerdote se apresentava no dia da expiação (Levítico 16.1-30).

A presença de Deus estava diretamente ligada ao Santo dos Santos,  sendo assim era um lugar de maior acesso a Deus. A morte de Jesus na cruz deu fim a essa separação.

O Sacrifício de Jesus foi perfeito e definitivo. O sangue de Jesus na cruz é superior ao dos animais sacrificados na Antiga Aliança (hebreus 9:11-15)

O véu rasgado simboliza o fim da adoração judaica (ritos, costumes, dias, sacrifícios, etc.) como caminho da alma à procura de Deus.

Após a morte de Cristo na cruz os judeus viram que o véu do Templo estava rasgado, foi então que eles souberam que haviam cometido um grande erro. Algo que ficou ainda mais evidente na madrugada do terceiro dia, quando Jesus Ressuscitou!


Emunah, Shalom Adonay Yeshua. bp. Paulo R. Maia Clavery

63 visualizaçõesEscreva um comentário

Atualizado: Abr 12


Amigos, shalom!, Estão dizendo por ai que o vírus parou o mundo... Infelizmente estão mais uma vez equivocados, achando que tudo isso é mais um evento meramente humano, guerra biológica e toda a sorte de azar que dizem ser, humanamente falando. Não! Não é, vos declaro que é um evento sobrenatural, dentre todas as pragas já ocorridas nos últimos 700 anos que inclusiva vos relatei no vídeo que está neste link:

https://www.youtube.com/watch?v=qgma-RovGGU.

Mais antes de continuar, quero lhes deixar uma passagem bíblica onde Deus Diz: Isaías 44:6-8 "Assim diz o Senhor, Rei de Israel e seu Redentor, o Senhor dos Exércitos: Eu sou o primeiro e eu sou o último, e fora de mim não há Deus. E quem chamará como eu, e anunciará isso, e o porá em ordem perante mim, desde que ordenei um povo eterno? Este que anuncie as coisas futuras e as que ainda hão de vir. Não vos assombreis, nem temais; porventura, desde então, não vo-lo fiz ouvir e não vo-lo anunciei? Porque vós sois as minhas testemunhas. Há outro Deus além de mim? Não! Não há outra Rocha que eu conheça".


Então amigos, muito triste, lhes escrevo para dizer que não entenderam o recado que mais uma vez, veio do Céu, resultado da batalha espiritual entre o primeiro e segundo céu, acometendo a Terra que está doente por causa do desamor, a maldade generaliza que perdura, com a falta de temor a Deus e discernimento espiritual, que perdura infelizmente mesmo neste momento atual. Será que não perceberam que a mão forte do Senhor, está nivelando todos nós e informando que somos vulneráveis independente de posição social, intelectual, credo religioso, raça e tudo mais? LHES Declaro que Não foi o vírus e a tal pandemia declarada MAIS SIM, a permissão de DEUS, o Todo Poderoso El-Shaday, que por amor a você a mim e a cada ser humano, colocou a todos no mesmo patamar para que possam pensar e se humilhar aos Pés d´ELE, se voltarem para ELE e passarem a viver pela Fé, arrancando do coração a mágoa, o orgulho a soberba, a avareza, a lascívia, a luxuria, a altivez a hipocrisia, a dureza de coração, o chamado orgulho próprio, e por fim, a incredulidade e toda a obra maligna manifesta na terra por causa do pecado.

Por último, enquanto a humanidade não se voltar pra Deus de forma literal, e reconhecer que Ele está no Controle de Tudo, pois é Soberano sobre o BEM e o mal, não haverá Cura da Alma, e portanto, não haverá Salvação para o Reino dos Céus se você não mudar e Recebe-lo Agora, como Seu Únco Suficiente, Salvador, Santo e Senhor de Sua Vida, nesta Páscoa.

Deixo pra você abaixo alguns versículos que culminam com essa situação, com a volta do Senhor Jesus, o Arrebatamento Eminente dos Eleitos a Salvação da Alma e Vida Eterna, antes da Grande tribulação que está por vir, quer você creia ou não, mais se não crer então pague para ver, pois eu não vou pagar, estou na fé, buscando dia a dia agradar a Deus e não aos homens.


As 10 Pragas sobre o Egito como referência pra você meditar, no amor de Deus sobre o seu povo.

>Sangue (Êxodo 7:20-22).

>Rãs (Êxodo 8:2-4).

>Piolhos (Êxodo 8:18-19)

>Moscas (Êxodo 8:21-23)

>Morte do Rebanhos (Êxodo 9:2-4)

>Feridas (Êxodo 9:10-12)

>Granizo (Êxodo 9:24-26

>Gafanhotos (Êxodo 10:7)

>Trevas (Êxodo 10:22-23)

>Morte dos Primogênitos (Êxodo 12:29-30)


Deus lhe abençoe, de forma rica e abundante. bp. Paulo R. Maia Clavery

69 visualizaçõesEscreva um comentário

Copyright all rights reserved © 2012 - 2020 Todos os Direitos Reservados por IIGV - Igreja Internacional Graça e Vida